Danças populares e jazz dance inspiram trabalhos no Recife (PE) e em São Paulo

Dando continuidade à pesquisa iniciada no Lote #2 – projeto de residência artística liderado por Cristian Duarte em São Paulo – Lote #3 inicia o ano com uma série de atividades. Desde quinta-feira, o grupo The Collective Jazz & Guests está promovendo uma “jam” no SESC Belenzinho, com apresentação de um espetáculo de dança de hoje (sexta-feira) até domingo (24-26/jan) (ver flyer abaixo). A pesquisa intitulada 1mm of All That (“1 milímetro de tudo aquilo”, em tradução livre) tem como referência o Jazz Dance, sua estética e tudo o que o movimento representou nas décadas de 1980 e 1990.

O SESC Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1.000 – Metrô Belém – São Paulo (SP).

[Iara Sales em Peba / foto: Chico Ludermir]

Por sua vez, a bailarina Iara Sales apresenta em sessão única (e gratuita) amanhã (25/jan, às 21h) no Recife (PE) a performance PebaO trabalho é resultado de uma pesquisa continuada (ao longo de um ano), realizada com recursos do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (FUNCULTURA).

“Peba” é uma palavra comum no vasto vocabulário popular nordestino – quer dizer “barato”, “ordinário”, “coisa fuleira”. A pesquisa de Iara buscou se debruçar sobre uma possível corporalidade “peba” que, sorrateiramente, transita entre as/os brincador@s nas danças, folguedos, ruas e festas dos estados de Pernambuco e Bahia. Conforme conta a bailarina:

Nesse ir e vir fui intensificando meu olhar sobre o corpo brincante, suas festas, seus modos de mover-se e organizar-se. Percebi relações entre a capoeira e o frevo, o samba de roda e o cavalo marinho, o trio elétrico baiano e os blocos de rua pernambucanos, entre outros pontos de convergências e singularidades que formam as identidades locais. Foi nesse entre-manifestações culturais que passei a mergulhar nos elementos do corpo festivo, me entendendo como uma brincante-errante que joga com gestualidades, territórios, memórias e subjetividades. Foi no trânsito entre danças, cidades e estudos que vivi experiências impulsionadoras dessa pesquisa, na busca por problematizar referenciais sobre as chamadas Danças Populares.

Outro elemento motivador da pesquisa provém de uma memória específica de carnaval. Em 1999, Iara sofreu um acidente em Olinda: um botijão de gás, de um carrinho de cachorro-quente, explodiu, queimando parte de seu corpo. O riso, o choro, a crítica, o assombro: tudo isso toma corpo em Peba.

No blog projetopeba.blogspot.com.br encontra-se todo o percurso da pesquisa empreendida por Iara. Depois de duas apresentações anteriores, o trabalho estreia em formato concluído no Espaço C.A.S.A. (Centro de Articulação de Saberes Artísticos).

O Espaço C.A.S.A. fica na Rua Visconde de Abaeté, 166 – Tamarineira – Recife (PE).

E você? O que acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s