Homenagens a Frida Kahlo e Carmen Miranda movem dois espetáculos no eixo RJ-SP

[Frida-me, com a Márcio Cunha Dança Contemporânea / foto: Silvana Marques]

Em homenagem aos 60 anos do trabalho da pintora mexicana Frida Kahlo, entra em cartaz (a partir de amanhã (1/mai)) no Rio de Janeiro, Frida-me, com a Márcio Cunha Dança Contemporânea. O Espaço SESC (Mezanino) recebe o espetáculo, que ganha sessões até o dia 11.

Conforme explica Márcio:

Nas obras da artista Frida Kahlo, temos a oportunidade de encontrar vida e obra caminhando juntas, como um diário pintado da vida da artista. Em FRIDA-ME encontramos o gráfico de intensidades dessa vida no corpo do intérprete e na cena.

A dualidade presente na vida e nas obras de Frida Kahlo, sua relação com Diego Rivera e as muitas tragédias vividas no seu corpo são evocadas no espetáculo, que encontra assim como a artista o veículo da imagem e da subjetividade para tratar do sentir. Além da concepção e coreografia do próprio Márcio, Frida-me conta com a co-criação e interpretação de Ana Paula Bouzas. Juliana Nogueira atua como assistente de direção.

O espetáculo possui sessões de terça a sábado (às 21h), e aos domingos (às 20h), com classificação indicativa 12 anos. Os ingressos custam R$20 (inteira), R$10 (meia-entrada) e R$5 (associad@s SESC). Para saber mais sobre a Márcio Cunha Dança Contemporânea, visite o blog da companhia.

O Espaço SESC fica na Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana – Rio de Janeiro (RJ).

[Um Poema para Carmen, com Marcos Sobrinho / foto: Dani Sandrini]

Em São Paulo, o bailarino Marcos Sobrinho apresenta Um Poema para Carmen, a partir do qual dá sequência à sua pesquisa de movimento buscando inspiração em Carmen Miranda. O espetáculo solo estreou hoje no Teatro Sérgio Cardoso (Sala Paschoal Carlos Magno), onde permanece em breve temporada até 15/mai (qui).

No solo, Marcos continua investindo num trabalho de pesquisa pautado na relação entre o visual e o movimento. “Parto de um objeto, o figurino, para criar movimento. É a partir da dificuldade que o figurino impõe que nascem as células coreográficas”, explica. O público ainda encontrará Carmen Miranda nas músicas que compõem a trilha do espetáculo – parte delas será interpretada ao vivo por Marcos (numa releitura em ritmo de jazz), na companhia dos músicos Luiz Cláudio Sousa, Leandro Ferro, Luis Panini e Mauricio Gerace.

As sessões de Um Poema para Carmen acontecem às quartas e quintas-feiras, às 20h, com ingressos a R$5 (inteira) e R$2,50 (meia-entrada). A classificação indicativa do solo é de 14 anos.

O Teatro Sérgio Cardoso fica na Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista – São Paulo (SP). De lá, Um Poema para Carmen segue para o Viga Espaço Cênico (Rua Capote Valente, 1.323 – Sumaré), em temporada de 23/mai a 1/jun (sexta a domingo).

E você? O que acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s