Apresentações em São Paulo e Salvador (BA) movimentam a cena de dança e artes do corpo da semana

Amanhã (19/mai), em plena segunda-feira preguiçosa, a dança “dá o seu recado” seja em São Paulo ou Salvador (BA).

Na “terra da garoa”, a partir das 19h, Carlos Monroy e Clarissa Sacchelli apresentam trabalhos em nova edição dos Encontros das Artes do Corpo (ver flyer acima). Na sequência das apresentações, aos dois se juntam Vera Sala, Bruna Freitag e Julio Françozo para um bate-papo intitulado “Artistas na universidade: a universidade acomoda os artistas; os artistas incomodam a universidade?”.

Conforme texto de divulgação:

Comissão de Re-frente Sem Título convidam o público a se tornar agente. A re-formance de Carlos Monroy é uma ação coletiva, à maneira de uma comissão de frente de escola de samba, que se propõe a recriar suas ações a cada repetição, sem deixar de lado a estrutura geral, acentuando e apontando a especificidade de cada situação e de seu contexto. Com performers presos a uma parede por meio de fitas isolantes, o trabalho de Clarissa Sacchelli, por sua vez, expõe um desejo de imobilidade, de manifestar o que se move para imobilizar e o que está imóvel para mover. Ambos os artistas participam do Encontros de maio para que, juntos, questionemos: o que o corpo artista pode mover nos horizontes aparentemente inamovíveis quando o assunto é a relação entre artista e universidade?

Comissão de Re-frente, de Carlos Monroy, acontecerá às 19h (na “Prainha” da PUC/SP Campus Monte Alegre), enquanto Clarissa Sacchelli apresentará Sem Título no saguão do Teatro Tucarena, às 20h. A conversa “Artistas na universidade” está programada para as 20h30, também no Tucarena.

Os ingressos custam R$5 (há gratuidade para estudantes e pessoas acima de 60 anos). Para mais informações sobre os Encontros das Artes do Corpo, visite comunicacaodasartesdocorpo.wordpress.com.

O Teatro Tucarena fica na Rua Monte Alegre, 1.024 – Perdizes – São Paulo (SP).

[Maria Meia Noite / foto: Leonardo Pastor]

Em Salvador (BA), Maria Meia Noite (ver foto acima) estreia no Teatro ICBA (Instituto Cultural Brasil Alemanha), às 20h, como fruto de laboratórios experimentais de pesquisa corporal em dança-capoeira liderados por Ricardo Biriba e Amélia Conrado. Com bases na capoeira de angola, em danças populares e na performance, o espetáculo foi contemplado pelo Edital Setorial de Dança da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SECULT-BA).

O texto de divulgação do espetáculo explica as origens de seu título:

O nome “Maria Meia Noite” tem as suas raízes em uma mulher do universo da capoeira na cidade de Salvador durante a primeira metade do século XX. Ela fazia parte do seleto grupo das ‘mulheres de pá virada’, dispostas a todo tipo de valentias pelas ruas (…) becos e confusões da polícia. Eram tidas como ‘arruaceiras’ por infringirem a ordem, as regras da moral da época. Inspirado neste universo, o espetáculo Maria Meia Noite extrai o material para questionar o papel da mulher na sociedade contemporânea.

Depois da passagem pelo Teatro ICBA, Maria Meia Noite segue para o Teatro Plataforma, onde possui sessões agendadas para os dias 30 e 31/mai, às 20h, com ingressos a R$10 (inteira) e R$5 (meia-entrada). Outras apresentações ainda serão realizadas nos Teatros Martim Gonçalves (6-8/jun) e ISBA (3-4/jul).

Para acompanhar notícias sobre a circulação do espetáculo, vale conferir a página de Maria Meia Noite no Facebook.

O Teatro ICBA fica na Avenida Sete de Setembro, 1.809 – Vitória – Salvador (BA).

[Balões Vermelhos, com a Cia. Etra de Dança / foto: Maurice Pirotte]

De volta a São Paulo, temos Balões Vermelhos, performance que a Cia. Etra de Dança Contemporânea vem apresentando (desde o dia 17) no foyer do Centro Cultural São Paulo (CCSP). Criado durante uma ocupação do SESC Santos (SP) ao longo de 5 meses, o trabalho se dá em meio a dezenas de bexigas que flutuam pouco acima do solo, formando um tabuleiro que ganha vida com o movimento de seis bailarin@s.

Balões Vermelhos ainda possui 4 sessões agendadas para esta semana (terça, quarta, sábado e domingo), sempre às 16h, com entrada franca e classificação indicativa livre. As apresentações integram o programa Dança ao Redor do CCSP.

Para saber mais sobre a Cia. Etra de Dança, visite o blog ciaetradedancacontemporanea.wordpress.com.

E você? O que acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s