“O Confete da Índia”: solo premiado de André Masseno retorna ao Rio de Janeiro para série de apresentações

[André Masseno em O Confete da Índia / foto: Nilmar Lage]

Eleito pela Associação Paulista de Críticos de Arte como Melhor Projeto Artístico em Dança em 2013, O Confete da Índia, espetáculo-solo de André Masseno, volta ao Rio de Janeiro para uma sequência de apresentações. A partir de amanhã (1/set), o solo ganha sessões em 3 espaços culturais da cidade – Sede das Cias., Galpão Gamboa e Arena Carioca Dicró – através de um projeto de circulação contemplado pelo Programa de Fomento à Cultura Carioca 2013 (Secretaria Municipal de Cultura – Prefeitura do Rio).

O espetáculo dialoga com a experiência contracultural do desbunde, que influenciou arte e vida entre as décadas de 60 e 70. Conforme André explicava ao nosso editor André Bern – numa conversa gravada há dois anos atrás (set/2012):

O Confete da Índia é um jogo de deglutição e reprocessamento do alheio, gerando um acontecimento repleto de gestualidades, imagens e estados de presença que revisitam a experiência física do corpo-em-desbunde, de sabor extático e tropical, e que pode ser entrevisto em algumas obras resultantes do período em questão e com as quais o espetáculo se confronta. Entre elas, a performance da cantora Gal Costa no álbum “Índia” (1973) e as fotos de foliões do carnaval carioca, feitas por Arthur Omar na série “Antropologia da Face Gloriosa” (1973-1996).

Confira abaixo a conversa entre os dois Andrés:

Amanhã (1/set) se dá o ponto de partida da circulação de O Confete da Índia, com uma apresentação às 20h, na Sede das Cias., localizada na Lapa (Rua Manuel Carneiro, 12 – Escadaria Selarón). Logo na sequência, André se reúne à pesquisadora Ana Cristina Chiara para um debate. No sábado e no domingo (6 e 7/set, respectivamente às 21h e às 20h), o solo ganha sessões no Galpão Gamboa (Rua da Gamboa, 279).

No dia 27, ainda há uma nova apresentação na Arena Carioca Dicró (Rua Flora Lobo, no bairro da Penha), seguida de um debate com Fábio Carvalho. Nesse dia, às 14h, o artista conduzirá uma oficina de dança contemporânea no mesmo local.

Eventualmente, André também colabora com ctrl+alt+dança, compartilhando escritos e reflexões, tais como “Danças, histórias e acontecimentos – sobre a exposição ‘Danser Sa Vie” (publicado em 29/fev/2012); “Peles de si, peles do outro” (publicado em 5/set/2012), sobre o espetáculo-solo O Homem Vermelho, de Marcelo Braga; e “Bebendo até inchar” (publicado em 16/out/2013), no qual tece considerações sobre Cachaça Sem Rótulo, trabalho de Ronie Rodrigues e Gladis Tridapalli.

E você? O que acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s