Três oficinas no mês de novembro: eutonia + danças urbanas + criação na cena contemporânea no Rio de Janeiro

[Jean-Marie Huberty ministrando aula / foto: divulgação]

Uma das primeiras coisas que Gerda Alexander – criadora da Eutonia – percebeu foi a necessidade de trabalharmos a percepção consciente de nossa pele, superfície elástico-sensível que nos envelopa. Considerarmos as sensações como vias de conhecimento de nossos ossos, do volume de nosso corpo, das relações que estamos estabelecendo o tempo todo com o espaço exterior. Sua pesquisa, conta ela, começou com uma pergunta: o que é o movimento natural? Essa pergunta se desdobrou em muitas, gerando esse belo trabalho que pode ser situado no campo da Educação Somática. A visão, o olhar, os olhos, uma porta entre o espaço interior e espaço exterior. Um trabalho sobre os olhos, tônus ocular, o contato entre interior e exterior.

Assim nos diz Thereza Feitosa que, amanhã (1/nov, 10h às 18h), promove um workshop de Eutonia com o francês Jean-Marie Huberty no Jardim Botânico (RJ). A aula traz como foco a visão, o olhar, os olhos e suas possíveis pontes entre o interior e o exterior.

Jean-Marie foi aluno de Gerda Alexander em Copenhague (Dinamarca), e membro da equipe do Instituto Gerda Alexander de Formação em Eutonia (São Paulo) – tendo sido um de seus criadores. Trabalha ativamente no Brasil e na Argentina, além da França e Luxemburgo.

Para as atividades, sugere-se que cada participante leve algo para forrar o chão – manta, colchonete ou tapete. Para mais informações, entre em contato através do e-mail therlfeitosa@gmail.com ou ligue para (21) 9 9612-1967.

O workshop acontecerá na Rua Pacheco Leão, 674, casa 18 – 2º andar – Jardim Botânico – Rio de Janeiro (RJ).

[Renato Cruz / fonte: vejario.abril.com.br]

Novembro também o mês em que a unidade Ipanema da Universidade Candido Mendes (UCAM) abre um curso de extensão de Danças Urbanas. Sob a coordenação do coreógrafo Renato Cruz (Cia. Híbrida), as atividades começam amanhã (1/nov) e se estendem até o final do mês (com encontros sempre aos sábados, 9h às 14h).

O curso é voltado para o aperfeiçoamento de bailarin@s e alun@s de dança – no entanto, qualquer pessoa que se interesse pelo universo das danças urbanas pode se inscrever. “O curso, além da prática, traz passos básicos com estudo da nomenclatura, desenvolvimento de coreografia, história de cada ramificação da street dance, além de promover jogos teatrais e cooperativos, e exercícios que dinamizam o processo de aprendizagem”, explica o texto de divulgação.

A cada sábado haverá um@ professor@ convidad@ para uma das quatro técnicas a serem apresentadas: hip hop, locking, waacking e popping. Segundo Angela Ferreira, coordenadora do curso de Dança da UCAM Ipanema, “a dança de rua tem de estar no meio acadêmico”:

A universidade precisa estudar, investigar, pesquisar a dança urbana, e entender o que é essa cultura, uma vez que estamos formando professores, e a intenção é que eles deem aulas para alunos de ensino público (…) a dança interpreta toda a cultura em volta: a música, a moda, a linguagem.

[Em 20/jun/2014, André Bern (editor de ctrl+alt+dança) conversou com Angela Ferreira via Skype sobre a implementação do curso de Licenciatura em Dança na UCAM. O bate-papo compôs o episódio #11 do ctrl+alt+dança Podcast. Clique aqui para conferir a postagem e acessar o podcast.]

A UCAM Ipanema fica na Rua Joana Angélica, 63 – Ipanema – Rio de Janeiro (RJ).

Por sua vez, Cristina Moura conduz uma oficina de criação e construção na cena contemporânea na Casa das Artes de Laranjeiras (CAL). Com atividades que se estendem de 4 a 26/nov (sempre às terças e quartas-feiras, 15h às 18h), a oficina concentra-se no treinamento como exercício e prática continuados, além de uma preparação física combinada com a ideia de fluxo de consciência e de movimento que resulta em cena, em poética, “em narrativa, em dramaturgia, em composições”.

Cristina é coreógrafa, intérprete e diretora de espetáculos de teatro e dança contemporânea. Entre 1996 e 2003 viveu na Europa e integrou o Les Ballets C de la B. Em 2014, estreia Retratos, solo com Carolina Cony inspirado na obra da fotógrafa estadunidense Cindy Sherman.

As/Os interessad@s em fazer a oficina devem comparecer ao Instituto CAL, localizado na Rua Santo Amaro, 44 – Glória – Rio de Janeiro (RJ). Mais informações também podem ser obtidas através do site da CAL: www.cal.com.br.

E você? O que acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s