Taanteatro Companhia ocupa a Oficina Cultural Oswald de Andrade (SP) com extensa programação

A Taanteatro Companhia (SP) chega à Oficina Cultural Oswald Andrade e promove uma extensa programação nesta primeira quinzena de dezembro. A temporada (contemplada pela 16a. edição do Programa de Fomento à Dança de São Paulo) inclui apresentações de solos de Alda Maria Abreu e Maura Baiocchi (ver fotos acima) com entrada franca, laboratório de criação, encontros com o filósofo Luis Orlandi e o poeta Cláudio Willer, além do lançamento da nova empreitada da companhia em 2015 (intitulada cARTAUDgrafia).

Androgyne – Sagração do Fogo, o premiado solo de Alda Maria Abreu (com direção de Maura Baiocchi), ganha sessões de amanhã a sábado (4-6/dez) (qui e sex, às 20h; sáb, às 19h). Ao conceber a androginia como manifestação ética, o trabalho distingue-se por uma meticulosa pesquisa corporal e evidencia as dimensões erótica e sagrada do corpo andrógino. Em 2013, Androgyne foi contemplado com o Prêmio FUNARTE Klauss Vianna de Dança, além de receber o Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) (Dançarina Revelação) e o Prêmio Denilto Gomes (Domínio do Movimento).

Abaixo, confira uma conversa entre Alda e André Bern (editor de ctrl+alt+dança), realizada via Skype em abril deste ano:

 

No dia 6 (sáb), logo após a sessão de Androgyne, haverá o lançamento do projeto cARTAUDgrafia e um encontro com o poeta Cláudio Willer. Na semana seguinte, Maura Baiocchi apresenta o solo TRANS, de 11 a 13/dez (qui e sex, às 20h; sáb, às 19h).

TRANS, conforme explica o texto de divulgação, é um exercício do desejo – do desejo como potência e matéria bruta de rupturas e transgressões:

A carne informe do desejo é como um Golem revoltoso – criatura monstruosa moldada do barro e dotada de forças elementares. Apesar de ter sido criada à imagem e semelhança de seu criador – o ser humano – essa criatura não possui alma nem voz. Além de inspirar-se no mito hebraico Golem, TRANS também deglute mais duas famosas representações sobre crise existencial e ruptura com o establishment: o mito grego Prometeu e o famoso Doutor Frankenstein, personagem atormentado do romance de Mary Shelley.

No dia 13 (sáb), após a sessão de TRANS, é a vez do filósofo Luis Orlandi encontrar o público para um bate-papo. Quem quiser conferir os solos de Alda e Maura deve chegar à Oficina Cultural com 30 minutos de antecedência para retirada de senhas (vale lembrar que há apenas 40 lugares disponíveis a cada sessão). Ambos os trabalhos possuem classificação indicativa 12 anos, com duração de 60 minutos.

A Oficina Cultural Oswald de Andrade fica na Rua Três Rios, 361 – Bom Retiro – São Paulo (SP).

E você? O que acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s