FUNARTE SP e Casa França-Brasil (RJ) recebem trabalhos da iN SAiO Cia. de Arte e do LOTE Osso neste final de semana

[iN SAiO Cia. de Arte em Dark Room / foto: Jonas Golfeto]

Até o próximo domingo (25/jan), a iN SAiO Cia. de Arte leva a sua Dark Room (ver foto acima) à Sala Renée Gumiel (FUNARTE SP) – no contexto do Projeto Âmbargris – Ocupação Cerco Choreográfico. Concebido e dirigido pela bailarina-coreógrafa Claudia Palma, o espetáculo explora a percepção por meio da proximidade e da fragmentação de imagens de movimento, que entram e escapam do campo de visão d@s espectador@s.

A obra “Blind Light”, do artista britânico Antony Gormley – um grande espaço branco, preenchido por espessa névoa, por onde o público passa sem enxergar quase nada – foi o ponto de partida para Dark Room. O espetáculo ocupa-se mais do trânsito entre os mundos interno e externo do que da abordagem sexual mais comumente conhecida para este termo. Conforme comenta Claudia:

A percepção acontecia por meio do corpo, a relação se estabelecia em forma de sensações, quase como uma cena. E estas experiências vieram ao encontro dos novos desejos: descobrir por meio do movimento, da composição coreográfica, caminhos para uma relação de provocação sensível com o público.

Dark Room foi produzido com recursos do 14º Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo, e a sua circulação integra um novo projeto da iN SAiO Cia. de Arte, intitulado “Ecos” (contemplado pela 16a. edição do mesmo programa de fomento da Cidade de São Paulo). Para quem ficou interessad@ em conferir o trabalho, há sessões amanhã e sábado (23 e 24/jan), às 20h30; e no domingo (25/jan), às 19h30 – com ingressos a R$10 (inteira) e R$5 (meia-entrada), e classficação indicativa 16 anos.

A Sala Renée Gumiel (FUNARTE SP) fica na Alameda Nothmann, 1.058 – Campos Elíseos – São Paulo (SP).

Idealizada pela diretora de cinema e teatro Christiane Jatahy, a terceira edição do projeto “In Drama” na Casa França-Brasil (RJ) convida coletivos de artistas de dança e teatro a criar performances inéditas para interagir com as exposições do espaço cultural. Neste final de semana, o coletivo LOTE Osso (ver flyer abaixo), de São Paulo, apresenta uma performance baseada nos poemas da Geração Mimeógrafo, movimento poético e coletivo dos anos 70 – que possui textos reunidos no livro 26 Poetas Hoje (compilação realizada por Heloisa Buarque de Hollanda em 1974), publicado pela Editora Aeroplano.

Lote Osso é um campo de encontro entre diferentes artistas da dança em São Paulo a fim de mobilizar seus distintos desejos poéticos. Coordenado desde 2011 pelo coreógrafo Cristian Duarte, revelou-se enquanto um ambiente capaz de despertar uma atitude de pesquisa e reflexão, produzindo espaços de relação e intercâmbio. Encontra-se em sua quarta edição, agora com a direção compartilhada entre Cristian Duarte e Clarice Lima.

A performance do Lote Osso na Casa França-Brasil (Rua Visconde de Itaboraí, 78 – Centro) acontece até 24/jan (sempre às 19h), com entrada franca.

E você? O que acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s