Na ponte RJ-SP: Marcela Levi & Lucía Russo estreiam “Mordedores” no Festival Dois Pontos + Maíra Vaz Valente leva “Inundação” ao SESC Ipiranga

Na programação do Festival Dois Pontos, que esse ano dá enfoque às produções argentinas e brasileiras, Marcela Levi & Lucía Russo levam ao palco do Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto (RJ) sua nova criação, intitulada Mordedores. A estreia do trabalho acontece neste sábado (14/mar, às 21h), e segue em brevíssima temporada com apresentações no domingo (15/mar, às 20h) e segunda-feira (16/mar, às 21h) (ver flyer abaixo).

Laura Erber, colaboradora dramatúrgica do trabalho, fala um pouco sobre o que move a criação de Mordedores:

Ao corpo contemporâneo blindado e asséptico, na desesperada busca de uma fortaleza auto-protetora, envolvido em fantasias cosméticas, contrapõe-se um corpo permeável, mais elástico, que pode romper, que suja e se suja, que pensa e é pensado, morde e é mordido. Não se trata de um retorno à violência mítica, que purifica e redime, mas de tomar a violência como algo que nos constitui, e extrair dela sua dimensão criadora, anti- determinista, suja. Não mais buscar as causas ou a compreensão, mas incorporar, em outro contexto – o dos corpos em contato – os efeitos, os gestos e ritmos encetados por essa força. O que normalmente é temido e evitado, pressupondo sempre uma exterioridade da violência em relação ao corpo ou à vida, passa a funcionar como energia vital. Talvez também por isso a violência que aí se articula arraste consigo a sombra do erotismo, a mordeção entre os performers sugere uma corrente erótica perpassando os corpos.

Conforme apontam as diretoras artísticas Marcela Levi & Lucía Russo, o projeto faz parte da procura de uma dança de corpos atrelados ao fora, corpos ‘divertidos’ (vertidos em dois): “Aí é que nos toca uma Björk cantando “Violently Happy”, o eu fraturado de um Rimbaud ou o Nijinsky quando escreve em seu diário (…) A maior parte dos dançarinos quer ser cavalheiro, isso é um problema para o corpo que nosso trabalho demanda. A gente não está cavalgando o próprio corpo. A gente é cavalo (…) Mais interessantes são os corpos (re)movidos por invisibilidade (…) há algo disso na ficção científica, nos desenhos animados, em certos sonhos”.

Mordedores possui ingressos a R$10 (inteira) e R$5 (meia-entrada), com classificação indicativa 16 anos. O Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto fica na Rua Humaitá, 163 – Humaitá – Rio de Janeiro (RJ).

[Maíra Vaz Valente em Inundação / fotos: divulgação]

Por sua vez, no SESC Ipiranga (SP), a artista Maíra Vaz Valente desenvolve a performance Inundação nos sábados deste mês de março (ver fotos acima). Poesia em fluxo, o trabalho propõe a criação de uma imagem de rio, convidando o público a bordar palavras e versos sobre uma grande superfície de tecido.

No encontro entre a artista e as/os participantes, que integra o projeto Performapa (organizado pelo próprio SESC Ipiranga), inunda-se o objeto e o espaço de palavras, enquanto tod@s @s envolvid@s tecem uma reflexão poética acerca dos encontros e dos rios, ambos já praticamente invisíveis nos grandes centros urbanos. Inundação dá continuidade às pesquisas sobre vestimentas que provocam encontros, e sobre água, que Maíra realiza desde 2010: sobre um tecido irregular azul de 7×8 metros, a artista ensina – durante 4 horas seguidas – pontos básicos de bordado para o público (assim como este também pode ensiná-la).

Para Maíra, as pessoas presentes ativam a ação propiciando uma troca de saberes:

É uma proposta performática para uma construção poética conjunta entre eu e o público. Para o nascimento de um rio é necessário o entrelaçamento de diversos elementos: a água, as pedras, a terra, o declive, o fundo, a superfície, as margens e a paisagem à volta. A relação entre cada elemento, somada ao calor, aos pássaros, às folhas, aos insetos, aos que têm sede, às chuvas, aos peixes, ao reflexo e a tantos outros elementos, constitui um tecido de possibilidades para a existência de um rio.

As sessões de Inundação acontecem sempre entre 17h e 21h, com classificação indicativa livre e entrada franca. O SESC Ipiranga fica na Rua Bom Pastor, 822 – Ipiranga – São Paulo (SP).

E você? O que acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s