Dia Internacional da Dança: a celebração continua com oficina, performance site-specific e intervenções urbanas

[Grupo Macauã organiza oficina em Juiz de Fora (MG) / foto: Luiza Carvalhães Albuquerque]

Ontem (29/abr) comemorou-se o Dia Internacional da Dança e, conforme indicam os projetos dos quais trata esta postagem, a celebração continua – ainda que sem perder de vista as mudanças pelas quais tod@s nós, artistas, nos movimentamos. Ações como as do Coletivo Mastruço, Grupo Macauã, Núcleo Aqui Mesmo, além da intervenção urbana Pedras Portuguesas e Pedras que se Deslocam, que ilustram e, literalmente, dão corpo ao anseio de transformação e abertura de novas possibilidades para a área da dança.

Amanhã (1/mai, às 11h), em pleno feriado do Dia d@s Trabalhador@s, o Grupo Macauã (ver foto acima) promoverá uma oficina de coco e ciranda em Juiz de Fora (MG). A atividade acontecerá no SESC Pousada (Rua do Contorno, s/n – Bairro Nova Califórnia), com entrada franca.

Para mais informações, basta entrar em contato através do e-mail grupomacaua@bol.com.br.

[Coletivo Mastruço celebra o Dia da Dança com campanha de vídeos na internet / foto: divulgação]

Em homenagem ao Dia da Dança, o Coletivo Mastruço movimenta uma campanha de vídeos na internet com a hashtag #todomundodança (ver foto acima): as pessoas são convidadas a dançar onde quer que estejam – na rua, no trabalho, em casa – para comemorar a data. Para participar, basta enviar seu vídeo para o e-mail coletivomastruco@gmail.com: “sim, pode ser de celular”, avisa o coletivo.

Formado por artistas mulheres dos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, o Coletivo Mastruço realiza uma pesquisa sobre a intimidade e age em locais não convencionais, nos quais apresenta seus trabalhos. A peça Ensaio sobre o Íntimo, por exemplo, foi realizada num banheiro feminino, como parte da programação do Festival de Curitiba 2014.

No âmbito de #todomundodança, o coletivo lançou ontem (29/abr), em sua página no Facebook, o vídeo promocional que vocês podem conferir abaixo:

[Núcleo Aqui Mesmo propõe performance site-specific para a Ladeira da Memória, em São Paulo (SP) / foto: divulgação]

Em São Paulo, o Núcleo Aqui Mesmo instala na Ladeira da Memória, localizada no Centro da Cidade, a performance site-specific |entre| ladeiras (ver foto acima). Contemplado pelo Programa de Ação Cultural do Governo do Estado (ProAC 2014), o projeto apresenta um grupo de 7 bailarin@s-performers cuja ação propõe relações com a arquitetura, a paisagem, as perspectivas e os fluxos de movimento d@s usuári@s e habitantes do lugar.

Conforme aponta o Núcleo:

Da invisibilidade à visibilidade, uma constelação de corpos se configura percorrendo, permanecendo, sinalizando e preenchendo este espaço. Camadas visíveis e invisíveis da Ladeira da Memória são convocadas, a partir dessa interação, revelando caminhos e contingências dos movimentos do corpo, dos gestos, do duradouro e do efêmero.

Abaixo, confiram o vídeo de divulgação da performance:

Quem ficou curios@ em acompanhar o desenvolvimento da performance na Ladeira da Memória deve comparecer ao local nos próximos dias 4, 5, 6 e 9/mai (ao meio-dia) ou 7 e 8/mai (em duas sessões, ao meio-dia e às 15h). Com classificação indicativa livre, |entre| ladeiras possui duração de 50 minutos.

Uma dica: a Ladeira da Memória fica ao lado do metrô Anhangabaú.

[Pedras Portuguesas e Pedras que se Deslocam acontece em praças de 4 cidades do Ceará / foto: Dario Ferreira de Albuquerque]

Por sua vez, a intervenção urbana Pedras Portuguesas e Pedras que se Deslocam (ver foto acima) consiste de uma série de ações em praças de quatro cidades do Ceará: Fortaleza, Aracati, Quixadá e Juazeiro do Norte. Depois da passagem por Fortaleza, a próxima parada do projeto é a Praça Marcelino Champagnat, em Aracati, no dia 23/mai (às 9h30).

Contemplada com o Prêmio FUNARTE Artes na Rua 2014, a intervenção pesquisa a ação, construção e transformação dos corpos e dos espaços. Pedras Portuguesas e Pedras que se Deslocam possui classificação indicativa livre e conta com a participação das performers Ana Carla de Souza e Inélia Brito, sob orientação de Pablo Assumpção.

Para conferir mais informações e acompanhar a circulação do projeto, visite: www.acontecimentos.net.

Sobre o Dia Internacional da Dança (ou Dia Mundial da Dança): foi instituído pelo Comitê Internacional da Dança (CID) da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) em 1982. Mesmo sendo uma data ainda desconhecida para muita gente, cada vez mais artistas e profissionais da área reconhecem a importância de sua celebração, a fim de dar maior visibilidade às discussões da classe e suas demandas. Ao instituir a data, a UNESCO escolheu o dia 29 de abril por ser a data de nascimento do mestre francês Jean-Georges Noverre (1727-1810), que se destaca na história por ter escrito um conjunto de textos críticos sobre o balé de sua época, as “Cartas Sobre a Dança” (ou no original, “Lettres Sur La Danse”). No Brasil, as Cartas ganharam tradução de Marianna Monteiro no belo exemplar publicado pela Editora da Universidade de São Paulo / FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

E você? O que acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s