São Paulo em foco: J.Gar.Cia Dança Contemporânea e Marina Guzzo apresentam trabalhos

J.Gar.Cia Dança Contemporânea em I Suite para Violoncelo Solo de J. S. Bach / foto: Eliana Souza

Em plena comemoração de seus 10 anos de atividades, a J.Gar.Cia Dança Contemporânea volta a apresentar I Suite para Violoncelo Solo de J. S. Bach (ver foto acima), com a participação do musicista Dimos Goudaroulis. Depois das primeiras apresentações (29/abr a 2/mai), o espetáculo ganha novas sessões de amanhã até sábado (13-16/mai, sempre às 21h) na sede da companhia em São Paulo, a Capital 35.

A partir do projeto Logos – Diálogos, idealizado por Dimos – primeiro violoncelista a gravar as 6 Suites de Bach segundo o manuscrito de Anna Magdalena Bach – surgiu a proposta de integrar a dança contemporânea do coreógrafo Jorge Garcia a uma nova interpretação da I Suite para Violoncelo Solo. Conforme o musicista explica, “Convidar o Jorge Garcia – com sua arte tão original e pessoal, seu virtuosismo, sua linguagem contemporânea e teatral, seu olhar inquieto – para coreografar a primeira Suite, a Suite do Gênesis e abertura da obra inteira, foi uma escolha completamente natural e obrigatória!”:

Juntos pensamos neste simbolismo da Suite I, escrita em Sol Maior, tonalidade quente e luminosa, solar: o Gênesis, a criação do mundo e do universo em 6 dias / 6 movimentos; o Logos, o Verbo, a música de Bach, o som impalpável de onde nasce o gesto, o movimento, a vida, a criação; o Criador e a criatura; o Homem e a Mulher; mas também uma inquietação escondida, a angústia da premonição da Queda e do destino amargo do homem aqui na Terra.

Todas as apresentações de I Suite para Violoncelo Solo de J. S. Bach têm acontecido na Capital 35, sede da companhia que vem se tornando um relevante centro de atividades culturais relacionadas aos campos expressivos da dança, teatro, música e artes visuais em São Paulo. “É um desejo da J.Gar.Cia manter a Capital 35 como um espaço multiartístico aberto, vivo e pulsante, expandido cada vez mais sua programação e proporcionando a seus frequentadores diários e eventuais novas e agradáveis vivências”, aponta o texto de divulgação.

Quem ficou interessad@ em conferir I Suite para Violoncelo Solo de J. S. Bach precisa se adiantar, pois cada sessão comporta apenas 30 pessoas. As reservas devem ser efetuadas através do e-mail reservas@ciajgarcia.com.br.

O espetáculo possui classificação indicativa 16 anos e duração de 55 minutos, com ingressos a R$20 (inteira) e R$10 (meia-entrada). A Capital 35 fica na Rua Capital Federal, 35 – Sumaré – São Paulo (SP).

100 Lugares Para Dançar, de Marina Guzzo em parceria com Vinícius Terra, é exibido como videoinstalação em programa duplo no SESC Pinheiros (SP) / foto: Vinícius Terra

Também em São Paulo, o projeto Gestos e Cenas do SESC Pinheiros recebe a performance Navios, seguida de exibição da videoinstalação 100 Lugares Para Dançar (ver foto acima): ambos os trabalhos foram concebidos pela artista Marina Guzzo (100 Lugares Para Dançar é uma parceria com Vinícius Terra). As sessões combinadas acontecem sempre aos sábados (23 e 30/mai), a partir de 19h, com entrada franca.

Navios (ver foto abaixo) trata sobre o fim do mundo – “nessa (e qualquer) cidade”, adverte Marina:

Será que vai existir um oceano para fugirmos num navio? Ou uma nave espacial para tentarmos a vida em Marte? Quando acabar a luz – depois ou antes da água – vamos conseguir sobreviver? Para que serve um escafandro se vai ficar tudo seco? Você sabe caçar? Lutar? Correr? Sabe viver em bando?

Navios, de Marina Guzzo / foto: Vinícius Terra

A performance busca criar cartografias dançadas em espaços abandonados, em plataformas esquecidas, nos cantos ali onde a memória e o sentido parecem ter sido arruinados. O trabalhou estreou na cidade de Santos (SP) em 2014, com posteriores apresentações no SESC Pompeia em janeiro deste ano. Navios surgiu a partir de uma pesquisa realizada pelo N(i)D – Núcleo Indisciplinar de Dança (Laboratório Corpo e Arte (UNIFESP Campus Baixada Santista)) – e contou com recursos do FACULT (Edital de Apoio a Projetos Culturais Independentes / Secretaria de Cultura de Santos).

Por sua vez, 100 Lugares Para Dançar compõe-se de 200 minivídeos de dança produzidos nas cidades de Santos, São Paulo e Rio de Janeiro. A obra-mosaico é um jogo com a cidade, onde cada dança é concebida no encontro com as pessoas, prédios, muros, barcos, contêiners, bares, escadas, águas, ruínas e sonhos.

Para conferir os vídeos de 100 Lugares Para Dançar, visite: 100lugaresparadancar.org. O SESC Pinheiros fica na Rua Paes Leme, 95 – Pinheiros – São Paulo (SP).

E você? O que acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s