Oficinas em foco: 3 atividades de dança nas cidades do Rio de Janeiro e Recife (PE)

Lorena Cronemberger / foto: Gabriel Santana

A bailarina-acrobata Carol Cony ministrará a oficina “Estar Suspenso” em dois dias seguidos (22 e 23/ago, 9h às 13h) no Espaço Vila (Rua Radialista Amaralio Niceias, 76 – Santo Amaro – Recife (PE)). Com inscrições abertas até esta sexta (14/ago), a atividade integra dança e acrobacias circenses em equipamentos aéreos em busca de novas conexões com o movimento.

Com inscrições gratuitas (realizadas exclusivamente online), a oficina propõe exercícios voltados para a composição cênica, tanto no chão como em aparelhos aéreos circenses (trapézio e tecido acrobático). A realização da atividade integra a programação do projeto de pesquisa Aéreo Improvisado, que parte da interseção e descoberta de atravessamentos entre o contato-improvisação e as técnicas de trapézio e tecido. O projeto é idealizado pela artista Lorena Cronemberger (ver foto acima), através de uma parceria entre o Coletivo Lugar Comum e o Espaço Vila, com recursos do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (FUNCULTURA).

Conforme aponta o texto de divulgação das atividades, trata-se de uma proposta de circo e dança, “voo e salto, mergulho e contato”:

A subversão do encontro no movimento do ar. Ventos, balanços, pesos e raízes, criando espaços outros, próprios, tempo e gravidade desenhando assombros, horizontes verticais na expressão do corpo artístico em criação constante.

15 participantes serão selecionad@s pela equipe do projeto, com resultado final a ser divulgado no dia 17.

Sobre Carol Cony: vive no Rio de Janeiro desde 2003, onde atuou no grupo de circo Intrépida Trupe entre 2006 e 2011. Acumula participações em importantes festivais nacionais e internacionais, tais como Europália (Bélgica), Festival de Teatro de Quito (Equador), Festival Mundial de Circo de Belo Horizonte (MG), Festival de Teatro de Curitiba (PR), Festival de Circo do Brasil (PE) e Festival Internacional SESC de Circo (SP).

Oficina com a cie. à fleur de peau / foto: zazgirard

No Rio de Janeiro, Denise Namura e Michael Bugdahn (cie. à fleur de peau) ministram a oficina “Compasso a Passo –  a precisão do movimento” nos dias 11, 12 e 13/set (sex a dom) (ver foto acima). Dedicada à precisão como elemento fundamental do trabalho que Denise e Michael desenvolvem, a atividade acontecerá na sede da Cie. Dos à Deux, localizada no bairro da Glória (Rua Santa Cristina, 4).

Conforme destaca a dupla de artistas, “a precisão é a base de todo trabalho profissional sério”:

Ela é a prova do domínio que necessitamos, domínio não somente da técnica utilizada, mas também do pensamento ao qual desejamos dar forma (…) Respeitar uma partitura precisa, fazer funcionar um mecanismo perfeito e delicado como um relógio, evitar de ficar “a meio caminho” graças a gestos bem desenhados e concisos. Tudo isto sem esquecer o fundo e o conteúdo emocional.

Orientada a uma análise da criação cênica a partir de laboratórios onde a individualidade e a criatividade de cada participante são colocadas em primeiro plano, a metodologia aplicada por Denise e Michael nas oficinas é intimamente calcada em sua própria pesquisa de linguagem. “Compasso a Passo” dirige-se a bailarin@s, atrizes/atores, mímic@s e artistas de circo.

Com investimento de R$420, a oficina acontecerá nos seguintes horários: sexta-feira (9h30 às 13h30), sábado (primeira parte, de 9h30 às 13h30 + intervalo + segunda parte, de 14h30 às 18h30) e domingo (10h às 14h). Quem se inscrever até o próximo sábado (15/ago) pagará o valor promocional de R$350.

Para mais informações sobre a oficina, envie um e-mail para teatroxire@msn.com. A cie. à fleur de peau também possui um blog (com conteúdo em francês) – clique aqui para acessá-lo.

Sobre Denise Namura e Michael Bugdahn (cie. à fleur de peau): Denise é brasileira, Michael é alemão; vivem em Paris, onde fundaram em 1988 a cie. à fleur de peau (intitulada a partir da expressão francesa que se traduz como “à flor da pele”, em português). Até hoje, a dupla criou mais de 40 coreografias para a sua companhia – e para outras companhias também, dentre as quais as brasileiras Cisne Negro, Balé da Cidade de São Paulo, Cia. de Danças de Diadema e Grupo de Dança Primeiro Ato. A cie. à fleur de peau já apresentou seus espetáculos em mais de 15 países.

Vanessa Soares é artista convidada dos Domingos de Dança Africana no Parque (RJ) / foto: divulgação

Também no Rio de Janeiro, Vanessa Soares (ver foto acima) é a convidada da nova edição dos Domingos de Dança Africana no Parque. Neste domingo (16/ago), a partir de 16h, o evento voltará a movimentar o Parque Garota de Ipanema (Avenida Francisco Bhering, s/nº – em frente à praia do Arpoador) com uma vivência do ritmo Tiriba, além de uma oficina que dialogará com movimentos da dança afro, afrobeat e contemporânea.

Encontro de pesquisador@s, artistas, amantes da cultura africana e interessad@s numa convivência com as artes de matriz africana, os Domingos de Dança Africana no Parque contam com música ao vivo e concentram-se nos ritmos de Guiné-Conacri e demais países da África do Oeste. Na edição do próximo domingo, a equipe organizadora do evento sugere que as/os participantes levem livros de poesia (ou letras de música), pois haverá uma série de jogos de palavras – promovidos como estímulo à leitura. Além disso, a artista Vanessa Soares fará desenhos africanos da Nigéria no rosto d@s presentes.

Com colaboração consciente a partir de R$5 – para a manutenção d@s músic@s e dançarin@s que organizam e conduzem o evento – os Domingos de Dança Africana no Parque convidam as mulheres a amarrar um tecido, capulana ou canga na região da cintura, em respeito aos ensinamentos da ancestralidade feminina africana. As/Os participantes também devem levar água e frutas para a confraternização após a vivência.

Sobre a convidada da edição, Vanessa Soares: atua há mais de 13 anos como artista e produtora em São Paulo. É dançarina desde a barriga de sua mãe (<3) e integra os seguintes coletivos: Frente Nacional de Mulheres no Hip-Hop; e Kultafro: Rede de Produtores, Artistas e Empreendedores da Cultura Negra de São Paulo.

Para acompanhar os movimentos dos Domingos de Dança Africana no Parque, visite a página do evento no Facebook.

 

E você? O que acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s